Login

 

Que tal tomar mais iogurte?!

Neste momento, está acontecendo um grande painel sobre os benefícios de consumir iogurte no congresso da American Society for Nutrition. Quem abriu o evento, sendo apresentado como um dos principais experts do planeta na ciência da nutrição, foi o médico brasileiro Mauro Fisberg, professor da Universidade Federal de São Paulo. De baixa lactose — uma vantagem em um mundo onde os casos de intolerância a esse açúcar só aumentam –, o iogurte tem mais cálcio do que o próprio leite, além de uma concentração incrível de proteínas, que o torna um dos alimentos, se não o alimento, com maior densidade de nutrientes em um volume relativamente pequeno — um pote por dia já faz toda a diferença. E mais: para a indústria, é um excelente veículo para acrescentar fibras, frutas, doses extras minerais e vitaminas, abrindo a possibilidade de moldar seus produtos, por assim dizer, conforme as necessidades da população ou de públicos específicos. Há trabalhos provando que o consumo regular ajuda no controle da fome, na prevenção do diabete e até mesmo no combate às doenças cardiovasculares — sim, porque embora de origem animal, a gordura do iogurte age em favor do coração, em uma fascinante contradição. Sem contar que a saúde do aparelho digestivo e dos ossos agradece. No entanto, embora o consumo de iogurte tenha crescido 702 % no Brasil nos últimos trinta anos (o costume de comprar iogurte, por sinal, é considerado pelos economistas um forte indicador de avanço nos países em desenvolvimento), apenas 6 em cada 100 brasileiros têm o hábito de tomar um iogurte por dia, empatando com os americanos, que também fazem feio nesse sentido. Na França e na Alemanha, mais de um terço das pessoas comem um iogurte por dia. Na Espanha, um quarto da população. Entre nós, seria falta de hábito? Provavelmente, E o curioso: a maioria absoluta das pessoas com esse ótimo costume é do sexo feminino. E, em geral, jovens — quando as mais velhas também se beneficiariam à beça. Logo na sequência no hábito de consumo vêm as crianças. Mas os homens… Ah, os homens brasileiros decididamente não costumam tomar iogurte que, pelas nossas bandas, ganhou a aura de produto infantil ou para mulheres… Eles não sabem o que estão perdendo. Lúcia Helena de Oliveira, diretamente de San Diego para quem segue SAÚDE.

Fonte: www.facebook.com/revistasaude

Nenhum comentário ainda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *